29 de fev de 2012

Eu quero ser bem mais que seu amor




Eu quero ser a noite, o dia, a tarde...
Quando estiver cansada... Pegue em minhas mãos , se deite no chão estique suas costas
Que eu estarei ao seu lado...
Quando estiver feliz pegue em minhas mãos, se deite no gramado estique suas costas
Que estarei ao seu lado...
A minha única razão para viver é estar ao seu lado, compartilhando do seu cansaço, das suas glórias, das suas tristezas, das suas manias, do seu amor...
Eu só preciso estar ao seu lado... Só preciso te dar as mãos e passear com você em um lugar cheio de árvores para respirar ar puro...
Meu amor...  A sua presença de alma me faz tão bem...
Eu sou sua mulher por inteiro... Não existe metade, não falta e não sobra.
Sabe aquelas canções de amor?
Elas não traduzem nem um terço do meu sentimento por você.
O que sinto está indo além dos meus próprios sentidos...
Já não sei mais de mim... Já não sei mais de nada...
Só sei que te amo tanto... Essas palavras não são suficientes...
Nesse momento os meus olhos querem dizer em silêncio o quanto eu te amo...

Alberto


Hoje eu não abri a janela do meu quarto
Não quis ver o sol e nem sentir a brisa da manhã
Todos os dias é isso que me move
Mas hoje não, hoje não abri a janela do meu quarto
Abri um livro observei uma paisagem
Nada de cidade nem de carros era um livro infantil do meu sobrinho Alberto
Ioiô, balão, balas, chicletes, ladrão, Pierro, colombina, chapeuzinho
Fui à geladeira misturei sorvete com coca-cola e continuei observando a paisagem
No final do livro tinha uma obra de Alberto
Um desenho, uma janela, o sol, os carros, os prédios, rostos felizes
O sol brilhava e lá estava Alberto incluído na imagem jogando futebol na calçada
E a paisagem do livro infantil? O que vale mais?
Alberto estava com um semblante feliz.