17 de dez de 2012

Narcisismo

"Narcisismo", palavra que caracteriza o século. Paixão pelo próprio reflexo, paixão desenfreada pela própria aparência. Perfeição? A paixão que faz nascer a crueldade e o desprezo. Narcisismo que ultrapassa a aparência física e vai além. Ser narcisista que despreza ideias e sentimentos alheios, ser que por vaidade foge sem recolher os cacos que deixou no caminho. Humilha, corre, não explica, não aceita, apenas aprecia a sua dignidade, a sua bondade, o seu negro lindo olhar. Afoga, as esperanças do outro, pois a beleza da sua estrela cravada na testa, foi ofuscada por um mero "Zé". Narcisista por natureza não deixa brotar a essência, não sabe entender e não espera. Não se comove com o sofrimento do próximo. Acorda toma um banho e lá está ele novamente na frente do espelho.

Você

Hoje acordei, sem o meu motivo maior.
Hoje eu acordei e não abri os olhos
Continuei sonhando...

O sol não brilhou
O meu sorriso não brotou
Em todos os olhares eu procurei, mas não achei
Não consegui manter a calma e no ônibus esbarrei em alguém.
Não era você.

A distância tomou conta do meu peito
Percebi que você não voltaria e eu nunca mais cruzaria o meu olhar com o seu.
Distância que antes não era percebida, pois o amor encurtava o tempo e o querer.
Mas hoje eu acordei, sem o meu motivo maior. Você.

Momentos

Só queria saber voar e voar para longe, bem longe. Outro país, outra galáxia, outro olhar. Sair daqui e esquecer as ilusões, os dias pensativos em que fiquei imaginando nossa casa, o nosso lar, os nossos beijos, as nossas brigas e reconciliações. Esquecer as palavras doces, os momentos de carinho e afeição, pois são esses momentos que machucam mais, quando são lembrados. Nem tudo na vida é maresia, mas quando há amor, o corpo e a mente resistem, pois coração grita mais alto a palavra superação. O amor não foi suficiente, o fervor da paixão não resistiu há tantos problemas. O meu coração ainda acelerava a cada toque do celular. O que aconteceu? Como? Me diga como o amor, o seu amor morreu?